Em entrevista à Rolling Stone, Amy comenta sobre seu primeiro álbum infantil, “Dream Too Much”

O site da revista Rolling Stone publicou, com exclusividade, a nova canção de Amy Lee – feita para seu primeiro álbum infantil que há muito tempo é especulado. A música, que recebeu o nome de “Dream Too Much”, é apenas uma de um total de 12 que a vocalista do Evanescence fez em parceria com toda a sua família. Abaixo, leiam a matéria postada pela RS com uma entrevista onde Lee explica todo o processo de criação desse novo álbum.

Amy Lee, a cantora dos roqueiros multi-platinados Evanescence, está mostrando seu lado mais gentil com seu primeiro álbum infantil, Dream Too Much. O LP com 12 canções, que será lançado com exclusividade no Amazon Music no dia 30 de setembro, traz sua voz para um faz-de-conta infantil como o clássico de Vila Sésamo “Rubber Duckie”, “Hello Goodbye” dos Beatles e “Goodnight My Love”, padrão do R&B.

A rendição da vocalista do Evanescence conta com guitarras fiéis e mandolins gravados pelo empresário Jordan Berliant.

Com inspiração em seu filho Jack, de dois anos, o álbum começou como um presente para seu pai, um guitarrista e campeão do Gong Show, que sempre tocou música na casa de Lee.

“Meu pai sempre falou sobre fazer algumas músicas infantis para o Jack ter em sua vida mais tarde”, Lee diz à Rolling Stone. “Meu marido sugeriu, ‘Vocês deviam fazer isso, entrar juntos no estúdio, vocês nunca estiveram em um estúdio juntos, e ambos são musicistas.’ “

Lee e seu pai juntaram forças em Fort Worth, no Texas, para algumas sessões que rapidamente evoluíram em um projeto que envolveu muito de sua família. Seu pai tocou ukulele, dobro e banjo; Lee se juntou com as irmãs Carrie e Lori para algumas harmonias no estilo Andrews Sisters; seu tio Tom tocou guitarra, baixo e harmônica; e seu filho Jack também fez algumas participações.

“Nós andamos dizendo, mesmo que sejamos os únicos a ouvir isso… valeu a pena porque significa muito para nós como uma família e nós amamos isso”, ela diz. “Então, estou muito orgulhosa e foi muito bom ser capaz de fazermos isso juntos… Estou sempre procurando meios que eu possa me expandir criativamente, e esse meio foi uma surpresa. É algo que veio de um lugar muito aleatório e muito puro. Era só para nós mesmos e se tornou algo realmente lindo.”

Um punhado dos originais de Lee que estão no álbum está impregnado de força de indie rock contemporâneo. Músicas como “The End of the Book” foram inspiradas diretamente pela vida com Jack.

“Toda vez que eu chegava ao final de um livro, ele chorava… tipo, chorava de verdade, ‘Eu não acredito que estamos no final do livro’, tipo, ‘Nããão!'”, diz Lee. “E eu ficava tipo, ‘Ei, cara… não é o final… podemos lê-lo de novo’. Eu achava isso muito fofo e doce, e acabou virando uma canção sobre o final do livro não ser o final da história.”

Embora Dream Too Much seja apenas o segundo projeto solo a levar o nome de Amy Lee, ela não se vê fazendo shows para crianças como uma nova carreira.

“Tipo viajar por aí com a minha banda da família?”, ela pergunta com uma risada. “Não estou dizendo ‘não’, mas esse realmente não é o meu plano. Quem sabe, talvez eu seja o próximo Raffi. Eu consigo nos imaginar fazendo algumas performances isoladas aqui e ali, mas eu acho, realmente, que vou focar mais em minha carreira de música para adultos.”

Dream Too Much está disponível para pré-venda aqui.

u

Comentários no Facebook
1733 visualizações no total 3 visualizações hoje

3 thoughts on “Em entrevista à Rolling Stone, Amy comenta sobre seu primeiro álbum infantil, “Dream Too Much”

Os comentários estão desativados.