ANYWHERE BUT HOME era

Anywhere but Home é um álbum ao vivo da banda de rock americano Evanescence. Foi lançado em 23 de novembro de 2004 através da gravadora Wind-up Records, e gravado em maio daquele mesmo ano. O disco contém os vídeos musicais das canções do álbum Fallen, um documentário mostrando a banda durante a turnê, e um concerto ao vivo em Paris, França. Também inclui a versão em estúdio da canção “Missing”, presente na faixa 14. A canção foi lançada como single em 22 de novembro, afim de promover o álbum. O disco vendeu cerca de 1,5 milhão de cópias em todo o mundo.

Antecedentes

O concerto presente no álbum foi filmado em 25 de maio de 2004 durante a apresentação da banda na arena Le Zénith, em Paris, na França. O concerto fez parte da turnê Fallen Tour, que passou por diversos países ao redor do mundo. No show, foi tocada a maioria das canções presentes no álbum Fallen, exceto “Hello”. Além de “Missing”, “Breathe No More” e “Farther Away”, que não estão presentes no disco.

Controvérsias

Em dezembro de 2004, Trevin e Melanie Skeens de Maryland, que haviam comprado o álbum para a sua filha de treze anos de idade, entraram em uma ação coletiva contra o Wal-Mart após ouvir a palavra “fuck” sendo pronunciada durante a canção “Thoughtless”, um cover da banda Korn. A ação alegou que, embora o álbum contivesse esta palavra explícita, não havia nenhuma etiqueta Parental Advisory na embalagem. Também foi dito que o álbum violava a política do Wal-Mart de não estocar música com letras explícitas, e que a empresa tinha que estar ciente do problema. O processo foi resolvido por ordem judicial de um acordo que permitiria que as pessoas que compraram o álbum em um mercado Wal-Mart de Maryland, deveriam receber um reembolso. Alguns exemplares possuem a etiqueta Parental Advisory, porém outras cópias ainda são vendidas sem ela agora.

Extras

Uma apresentação secreta de “Bring Me to Life” em Las Vegas, Nevada, pode ser encontrada no menu principal do DVD, movendo o cursor para o maior espinho no lado esquerdo da tela. O símbolo da banda, então, torna-se visível. Quando selecionado, levará o usuário para a filmagem escondida.

Resposta da crítica

Johny Loftus do website Allmusic classificou o álbum com três estrelas e meia de cinco. Ele disse que o álbum “reafirma a posição de Amy Lee no centro do Evanescence. Durante a ascensão da banda, houve o drama, mas havia sempre a força singular de Lee, cujos vocais, persona pública estridente, e senso de moda poderosamente impressionante quebrou as portas do metal alternativo para homens”. Ele terminou seu comentário dizendo: “Apropriadamente, Lee é a estrela de Anywhere but Home, sua voz tem uma qualidade impressionante, e sua brincadeira com a bajulação da multidão parisiense é sempre envolvente”. Geoff Barton da revista Classic Rock classificou o disco com quatro de cinco estrelas.

Na Billboard 200, o álbum estreou no número trinta e nove em 11 de dezembro de 2004, vendendo 59 mil cópias em sua primeira semana. Na parada espanhola de DVDs, Anywhere but Home estreou em primeiro lugar na semana encerrada em 28 de novembro de 2004. Mais tarde, tornou-se um dos maiores best-seller musicais de 2004.

Via.

Comentários no Facebook
660 visualizações no total 1 visualizações hoje